terça-feira, 26 de julho de 2011

NORUEGA_um criminoso «nazi»


Alguma imprensa diz: 

"O fundamentalista cristão e de extrema-direita"...  
MAS NÃO DIZEM A VERDADE: 
«este CRIMINOSO camuflou-se no cristianismo como fazem muitos VERMES MAÇONS, para quem os meios justificam os fins»

domingo, 24 de abril de 2011

TÁCTICA DA INTERNACIONAL SOCIALISTA

FMI teve lucros 24,8 milhões de dólares em quatro dos últimos seis anos fiscais e já reviu em alta de 63% as previsões de resultados operacionais para este ano. Dominique Strauss-Kahn, director do FMI

A INTERNACIONAL SOCIALISTA ao serviço do «capitalismo sem rosto»

PÕEM À FRENTE DOS PAÍSES GOVERNOS LACAIOS SOCIALISTAS
FAZEM FALIR ESSES PAÍSES
EMPRESTAM DINHEIRO COM JUROS AGIOTAS!


O 25 DE ABRIL FOI PARA ISTO...



MÁRIO SOARES sabia
mentiu... depois meteu o socialismo na gaveta para aderir à CEE. 
(MAÇON rasca, fugiu da GUERRA DO ULTRAMAR, ANDOU PELA EUROPA E AMÉRICA A TRAMAR A VENDA DA PÁTRIA AO ESTRANGEIRO)

terça-feira, 8 de março de 2011

LUSOFONIA...."Commonwealth exemplo para a DIÁSPORA PORTUGUESA"






Dom Duarte de Bragança e o Bispo Dom Ximenes Belo negociaram na época, com autoridades (Ali Alatas) a não invasão pela Indonésia e a Independência de TIMOR.....O BRASIL INFORMOU DOM DUARTE DA DISPOSIÇÃO PARA AJUDAR PORTUGAL....agora vai lá o presidente republicano "esticar o pescoço" para ver se leva uma "medalhinha"... será que vai pedir ajuda para Portugal ou a UNIÃO EUROPEIA?NOTA: *Commonwealth literalmente significa riqueza comum. Com esse nome é conhecida a comunidade britânica de nações ou Reino Unido. São os países que foram conquistados pela Grã-Bretanha e após a independencia ainda continuam a ser economicamente e emocionalmente ligados a esse país, reconhecendo a RAINHA DE INGLATERRA como seu soberano.

sábado, 5 de março de 2011

ORÇAMENTO DE CAVACO_163 vezes superior ao de Eanes



Para o primeiro ano deste segundo mandato de Cavaco Silva estão disponíveis 16 milhões de euros. Em 1976, havia apenas 99 mil euros para gastar. Mesmo sem contar com a inflação, em democracia, as despesas de Belém têm subido 18% por ano. Cavaco Silva tem quase 500 pessoas a trabalhar para si. É o Chefe do Estado Português, mas no palácio manda pouco ou quase nada. 
A gestão do dia-a-dia é da responsabilidade do secretário-geral. As contas são verificadas pelo Tribunal de Contas a cada quatro anos.Fonte: DN Presidência da República Portuguesa (Presidente actual + Presidentes reformados + viúvas dos falecidos etc... gastam: 16.000.000€. Cada português paga: 1,58€... Casa Real Espanhola gasta 8.000.000€, cada espanhol paga: 0,18€....  Os presidentes são "chefes da facção" que os elege... servem para gastar dinheiro nas campanhas eleitorais, andar nas televisões durante o 1º mandato para se auto-promoverem, são FONTE DE INTRIGAS nacionais... não exercem influência na governação, nem em outros órgãos de poder, são influenciados pelos partidos que representam, são obrigados a aprovar leis mesmo contrariados.  
EU QUERO O REI  (representa o POVO, não se reforma, não precisa ser eleito, toda a gente o conhece desde pequeno e é preparado para ser o verdadeiro CHEFE DE ESTADO DA NAÇÃO...)  O REI, É UM CHEFE DE ESTADO LIVRE E INDEPENDENTE DOS PARTIDOS E OUTRAS OLIGARQUIAS.  VIVA PORTUGAL!

quinta-feira, 3 de março de 2011

REPÚBLICA "FORMATA" A MENTE DE GERAÇÕES...no banco das escolas

Professores ao serviço dos partidos, sem liberdade e sem atitude democrática, não sabem explicar às crianças com isenção como foi imposta a República.É grande a ignorância deles, os do ensino público, com pouca cultura, têm o "CÉREBRO" FORMATADO PELO REGIME REPUBLICANO.


monarquia é uma forma de regime em que o chefe de Estado é um rei ou uma rainha. Ao contrário do regime republicano, o rei não é eleito, e a representação do país está numa pessoa cujos antepassados participaram na construção e na História do país. Por isso não são estranhos ao povo e como os príncipes criados para reinar não precisam de ter uma carreira política, conhecemos-los desde a infância, até à idade adulta, quando assumem o cargo de Chefe de Estado.
Já viste o que seria se tivesses de escolher os teus pais, ou os teus pais dissessem: eu tenho o direito a escolher o filho que quero? Passa-se o mesmo em República. O nosso Chefe de Estado, em vez de ser alguém que conhecemos e gostamos desde pequenino, é apenas um político que quer um emprego. Representa o país durante poucos anos e depois vai-se embora...
A nossa monarquia durou 771 anos como sabes, pois em 1910 um golpe de estado expulsou o rei Dom Manuel II, a sua mãe e a sua avó para fora do país. Isso foi bom ou foi mau? Deve caber a ti estudares para compreenderes as alterações dessa época, mas gostava de te explicar que a República imposta em 5 de Outubro de 1910 não veio trazer a democracia a Portugal. Nessa altura o nosso país já tinha liberdade. As pessoas podiam votar e a Imprensa publicava todas as críticas que queria.
Ao contrário do que a propaganda republicana tem dito, a democracia foi introduzida em Portugal em 1834, suspensa algumas vezes até 1926  e neste ano definitivamente silenciada, dando origem a uma das mais longas ditaduras de sempre, em todo o mundo! Foi a Segunda República que para disfarçar chamam Estado Novo e que durou de 1933 até 1974! Neste ano a Democracia voltou a Portugal, pela Revolução de 25 de Abril, como decerto já ouviste falar.
Em 771 anos tivemos 33 monarcas, o que perfaz uma média de cerca de 22 anos por reinado. Compreendes a importância desta estabilidade? Em 100 anos de República, de 1910 a 2010 tivemos 19 presidentes, o que se traduz numa média de 5 anos por mandato...  alguns deles conflituosos, pois o presidente procura fazer os possíveis para agradar aos eleitores e ao partido ou partidos que o apoiam. Não está ali simplesmente para representar o país, mas para se representar a si mesmo e a quem vota nele...
Também tivemos algumas rainhas e regentes, mais ainda não tivemos nenhuma mulher presidente da República!
Mas, então, perguntarás, se a monarquia tinha vantagens, porque terminou? Bem, como tens visto na televisão, em relação às revoluções no estrangeiro, nem sempre estas revoluções são populares.Muitas vezes, um grupo pequeno, bem relacionado e que recorra à violência pode derrubar regimes. Foi o que aconteceu em Portugal. Os republicanos estavam em menor número, mas:
- aproveitaram-se do desgaste partidário, ocasionado pela alternância constante entre 2 partidos no poder;
- aproveitaram-se das ideias nacionalistas de pátria e de herói para fazer passar a sua mensagem;
- fizeram ataques ferozes ao Rei D. Carlos e à sua família, espalhando boatos e criando uma imagem negativa da monarquia que diziam despesista e ostensiva;
- recorreram à violência através de uma organização terrorista e chamada Carbonária que assassinou o Rei e o seu filho, de 21 anos, D. Luís Filipe, em 1908 (foi o Regicídio) e através de uma organização secreta que ainda hoje existe, a Maçonaria, conseguiram controlar o exército e alguns políticos;
-e, finalmente, como o país, infelizmente, ainda era constituído essencialmente por pessoas iletradas, culturalmente pouco informadas, facilmente o Partido Republicano pode controlar os cidadãos, com mensagens demagógicas e inflamadas. (É por isso que deves estudar e questionar tudo para seres um adulto com consciência cívica!)
Depois de instaurada a República, sucederam-se imensos atropelos à liberdade que o novo regime tinha prometido. Pessoas foram perseguidas por serem católicas, monárquicas ou simplesmente por não colaborarem com o novo regime. E os próprios republicanos lutaram entre si para conquistar e aguentar o poder. Em 1914 a república levou milhares de jovens a entrar na I Grande Guerra. Muitos morreram e o país desmoralizava perante uma crise económica, social e política. Todos os dias havia atentados em Lisboa, o governo caía, os presidentes demitiam-se ou eram demitidos por golpes de estado. Entre 1911 e 1926 houve quase 50 governos!
Porém, a monarquia sempre foi uma alternativa democrática em Portugal, tanto durante a Primeira República, como durante o Estado Novo e mesmo hoje.
A Europa, como deves saber é praticamente constituída por Monarquias Constitucionais, como Portugal o era antes de 1910. Monarquias Constitucionais e (ou) Parlamentares são aquelas em que o rei não governa (para isso existe o Primeiro-Ministro e o seu Conselho de Ministros que nós elegemos), cabendo-lhe apenas a representação e a regulação das instituições do seu país. Por isso países desenvolvidos como a Noruega, Suécia, Dinamarca, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, e aqui ao lado Espanha são monarquias. E fora da Europa encontramos muitas mais: Japão, Marrocos, Jordânia, etc. o Reino Unido, por exemplo, e a Comonwealth que estende pelo Canadá e pela Austrália, entre outros países, cuja chefe de Estado é a rainha Isabel II.
Não há regimes perfeitos. Nem pessoas. Acima de tudo deves procurar saber o que melhor serve a tua nação e pensar por ti. Não grites Viva a República! sem perguntares a quem to manda fazer, se existe uma alternativa e se essa alternativa é melhor ou pior. Acima de tudo sê um cidadão informado pois só assim podes construir um país melhor e contribuir para um futuro mais sorridente a quem viver em Portugal nos próximos anos. E que estes anos sejam mais pacíficos e prósperos do que foram os últimos 100.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

PORTUGUESES e outros POVOS EUROPEUS, DEVEM ACORDAR ENQUANTO É TEMPO!


PORTUGAL TEM DE MUDAR DE REGIME... SAIR DA PARASITA "UNIÃO EUROPEIA" SERIA A SALVAÇÃO DE PORTUGAL... 
a U.E. não produz nada! 
Os PAÍSES sustentam uma estrutura e funcionários pagos a peso de ouro,  que mandam "SUBSÍDIOS PARA ALGUNS (que bonzinhos! alguém acredita que algum País ou a U.E. dá algo a outro País desinteressadamente? Os Países não são amigos TÊM INTERESSES)" mas A DESPESA É PAGA POR TODO O POVO, 5% do IVA NACIONAL É ENTREGUE A ESSES DEMÓNIOS... que andam a preparar implementação do IVA EUROPEU... 
a INTERNACIONAL SOCIALISTA e MAÇONARIA escondem a VERDADE.  
U. E. é um "estado" que está a ser criado por INTERESSES ESTRANGEIROS LIDERADO PELOS AMERICANOS/ALEMÃES.
O DESERTOR/TRAIDOR «BURROSO/MRPP» FOI TREINAR NA AMERICA para ser um dos "testa de ferro" do CAPITALISMO SEM ROSTO INTERNACIONAL...
A UNIÃO EUROPEIA FEZ FALIR PORTUGAL E OUTROS PAÍSES AGORA VÊM DIZER QUE OS SALVAM... seria de rir não fosse:  uma  «manobra macabra» para se imporem e tirarem SOBERANIA às NAÇÕES.  
CAPITALISMO SEM ROSTO

Durão Barroso diz que UE está preparada para ajudar financeiramente Portugal
A União Europeia está preparada para resgatar Portugal, basta apenas que o país peça ajuda. A garantia é do presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso.
(até já calaram o Prof Medina Carreira)
(verde cor da Maçonaria, vermelho cor da carbonária)
Em Portugal, além dos:
partidos da república, estes são os que mais contribuem para a  
miséria da NAÇÃO.


OS TESTAS DE FERRO DO
(DELFINS de Soares e Cavaco)  
(imposeram com aldrabices o tratado de Lisboa)
Lusa: Publicação: 19-02-2011 00:23   |  Última actualização: 19-02-2011 00:49

domingo, 23 de janeiro de 2011

DEMOCRACIA REAL... e DEMOCRATISMOS!

Mais de 9,6 milhões de eleitores são hoje chamados a escolher o Presidente da República para os próximo cinco anos, com seis candidatos na corrida ao Palácio de Belém.
Se um dos candidatos obtiver mais de 50 por cento dos votos será eleito já hoje chefe de Estado, mas caso contrário haverá uma segunda volta, a 13 de Fevereiro, com os dois concorrentes mais votados.
Nos boletins de voto surgem, por esta ordem, Cavaco Silva (com o apoio de PSD, CDS-PP e MEP), Defensor Moura (independente), Francisco Lopes (PCP e PEV), José Manuel Coelho (PND), Manuel Alegre (PS, BE e PCTP/MRPP) e Fernando Nobre (independente).
Para o sufrágio de hoje estão inscritos um total de 9.656.474 eleitores, mais 571.135 do que em 2006.
As mesas de voto estarão abertas entre as 08:00 e as 19:00 em Portugal Continental e Madeira, enquanto nos Açores abrem e fecham uma hora mais tarde devido à diferença horária.
Todos os candidatos votam durante o período da manhã, excepto Defensor Moura, que vota às três da tarde.
Em 2006, Cavaco Silva ganhou as eleições presidenciais com 50,54 por cento, seguido de Manuel Alegre (20,74%), Mário Soares (14,31%), Jerónimo de Sousa (8,64%), Francisco Louçã (5,32%) e Garcia Pereira (0,44%).
A abstenção foi de 38,47 por cento, segundo a Comissão Nacional de Eleições. A maior abstenção em eleições presidenciais pós 25 de Abril de 1974 foi registada na reeleição de Jorge Sampaio, em 2001 (50,29 por cento), enquanto a menor verificou-se na reeleição de Ramalho Eanes, em 1980 (15,61 por cento).
No pós-25 de Abril foram eleitos por sufrágio universal e directo Ramalho Eanes, Mário Soares, Jorge Sampaio e Cavaco Silva. Os três primeiros foram reeleitos.
@Lusa

www.Republica.come

ALGUNS PORTUGUESES, TODOS DIVIDIDOS VÃO ESCOLHER UM INDIVIDUO NOMEADO PELO PARTIDO... que logo diz ser o presidente de todos, UMA MENTIRA!

Se 2.500.000 votarem no eleito, a dividir por 9600000 eleitores dá = 26% É A PERCENTAGEM REAL torna

ILEGÍTIMO o PRESIDENTE desta republica.

(mas eles arranjaram outra maneira de fazer as contas para dar mais de 50%... batoteiros)

DEMOCRATISMOS!

PORTUGAL PRECISA DO PREPARADO, TRANQUILO, PATRIOTA E LEGÍTIMO  CHEFE DE ESTADO QUE É REALMENTE O CHEFE DE TODA "FAMÍLIA" PORTUGUESA
VIVA O REI!

VIVA PORTUGAL!

JoséCarlos Ramalho